Tuesday, April 03, 2012

   Interessante. E ao mesmo tempo meio chata. Tô lendo a autobiografia da Yayoi Kusama,Infinity Net, depois de ter visto a exposição na Tate Modern pela segunda vez ontem. Claro que eu já havia amado a exposição dela na Hayward Gallery em 2009, quando ela até encapou os troncos das árvores do South Bank com tecidos vermelhos de bolinhas brancas e fez do meu verão um verão feliz. Enfim, ontem eu baixei na loja da Tate procurando uma camiseta vermelha de bolinhas brancas que só existe na minha imaginação, ninguém teve essa idéia óbvia. E acabei comprando o livro. Miss Kusama teve e ainda tem uma vida interessantérrima. Mas seu livro é chato e burocrático, uma lista infindável de fatos e acontecimentos. Acho que até ela concordaria comigo, talento com as palavras nunca foi seu forte. E vou lendo assim mesmo, porque apesar da burocracia a vida da criatura me deixa muito curioso.

Ps.  E eu não sei o que seria da minha vida sem o Barbican e a Tate Modern, que ficam aqui por perto e pra onde eu posso até mesmo ir andando quando me dá na telha.
Post a Comment