Saturday, December 28, 2013

    Agora, quando finalmente posso dormir até mais tarde, tenho acordado invariávelmente lá pelas sete da manhã. E lá pelas nove já não sei mais o que fazer do dia. Então eu como, fumo, tomo muitos cafés e leio. Ninguém na cidade, nada por fazer, dias frios e uma preguiça enorme.
    Já no meio do terceiro livro da semana, Love, Nina(Nina Stibbe), um livro de cartas de uma babá em Londres pra sua irmã em Leicester nos anos 80. Divertido. Depois de ter terminado a biografia da Anjelica Huston e The Examined Life(Stephen Grosz). Ainda faltam cinco dos livros que me dei de Natal pra ler. Eu fico ansioso, quero ler tudo antes do ano-novo quando tudo volta a ser uma correria louca e a leitura fica sempre pra depois.
    Nos jornais de hoje, só dá retrospectivas do ano velho. Basicamente assim: O selfie do Obama, os dramas de Nigella, o caso do Oscar Pistorius, o terrorismo em Nairobi, Angelina Jolie, as mortes da megera Thatcher e do Nelson Mandela, as maluquices do Putin, as bombas na maratona de Boston, o nascimento do pequeno príncipe, o Papa Francisco e a Síria.
Ao menos no Brasil o ano parece ter sido mais tumultuado e excitante. Falando nisso, que fim levou aquela indignação cívica toda da primavera ridícula dos fofoletes de junho?...

Ps. Sem falar na reação histérica das sinházinhas contra os direitos básicos das empregadas domésticas e os insultos racistas contra os medicos cubanos.
Post a Comment