Sunday, November 10, 2013

Tempo vazio. Nada na cabeça mas aquilo. E fui brincar de aventuras mirabolantes. E aventuras mirabolantes são quase impossíveis agora, quando todas as aventuras se encontram disponíveis num click qualquer, qualquer app. Eu ando me rendendo aos prazeres frios da época tecnológica. Mas gosto mesmo é de encontros no pub, na calçada, na caçada.  Eu ando sozinho pelo mundo, esperando um esbarrão, um tombo, gelo no whiskey, olhares brilhantes. Eu espero pelo impossivel nesse mundo take away, delivery, scruff, craiglist. E tenho cios vintage, mãos na côxa, lábios molhados, balcões de bar. Desejo fossilizado, tesão de enciclopédia histórica.
Post a Comment