Sunday, October 13, 2013

   Do alto de sua coluna de hoje no Globo(esse verdadeiro colosso da retarguarda midiática nacional), Caetano Veloso nos vem com um blá blá blá interminável e ilógico, tentando botar panos quentes no furor causado pelo tal movimento(e como o Brasil anda cheio de movimentos) pelo fim das biografias não autorizadas.
    Sempre se deu importância demais ao Caetano. E aos chamados baluartes da MPB. Ora, a MPB sempre foi o MDB da cultura nacional, com seus intocáveis monstros sagrados pontificando sobre todos os menores aspectos da vida cultural, econômica, social e política do país. E agora, essas esfinges de loja de souvenir, depois de inumeráveis tolices cometidas através de décadas de egotrips sem sentido, se recusam a reconhecer que perderam a tal suposta importância, ficaram todos irrelevantes ao contexto.
    Paula Lavigne chegou tardiamente nessa cena, assim como macaca louca solta em loja de cristais, com seu faro pra grana fácil e vaidades fúteis e anda capitaneando a nau dos anacrônicos em sua cruzada stalinista pela moral, pelos bons costumes e sobretudo pelo tilintar das moedinhas.
    O que eles conseguiram, quando se trata de biografias, foi emporcalhar irremediavelmente as suas próprias.
    Todos podem ser considerados gênios musicais. Mas esse papo autoritário pra cima de mim, nem morta!
Post a Comment