Saturday, June 15, 2013

   Acordar, dormir, acordar, dormir. Um dia assim de preguiça e moleza, desânimo, apatia.  Agora que o verão foi oficialmente cancelado, anda ficando cada vez mais difícil sair debaixo das cobertas de manhã. Me arrastei finalmente da cama, tarde. Chovia lá fora, ventania, aviões barulhentos no céu sobre o meu prédio, indo pro Trooping The Colour(mais uma parada da tia Lilibeth e sua gang). Restos da pizza de ontem que comprei por engano(não tava com vontade de nada vegetariano, mas me confundi), chá, suco de laranja.
    A Vanity Fair do mês que vem na mesa, com um artigo sobre uma biografia da Ava Gardner que nunca foi publicada. Eu gosto de Ava Gardner, porque era uma mulher de verdade, bebia, falava palavrões, saia na porrada, traia os maridos. E lá fui eu pra Foyles da Charing Cross Road, ver se achava uma biografia da atriz. Pra me animar, porque biografias são boas de se ler em dias assim sem sal.
   Chovia, chovia, chovia. E ventava no meu guarda-chuva. O West End Vazio e eu arrependido de ter saído de casa. Achei a biografia. Que tem um título lindo: Love Is Nothing. E estiquei o cartão de crédito pra caber também as cartas do F Scott Fitzgerald.
   Voltei de ônibus pra ver a cidade, adoro andar de ônibus olhando as redondezas, não rola todo dia porque o metrô é mais rápido. Queria ter menos pressa.
Post a Comment