Monday, December 03, 2012

   Notícias do purgatório(porque inacreditavelmente as coisas podiam ser piores): Claro que dormi pouco na noite passada, nariz entupido. E acordei resfriado, com aquele mal estar cretino, olhos ardendo, dorzinha de cabeça e desânimo generalizado. Nos trens do metrô e nos ônibus pela cidade, todos espirrando, roucos e com os narizes escorrendo. Epidemia. Ao menos não me sinto só, como se fosse possível... Liguem não, não há perigo, não vai ser um resfriado que vai acabar com a minha solidão, quanto mais gente à minha volta, mais solitário eu fico. Não existe cura pro meu mal, ou pro meu bem. Câncer, cancro ou gripe, eu sou um vácuo. Esperando a minha própria extinção. Otimista e supersticioso, eu nutri por muito tempo a ilusão de que iria transcender.
Post a Comment