Friday, May 25, 2012

    Onze da manhã e eu já passei aspirador no quarto, arrumei a cama, fui ao mercado(spray pro vidro do banheiro, desinfetante, sabão em pó e porco ralado), peguei minha camisa favorita no dry cleaner e coloquei a roupa na máquina pra lavar. Eu hein! Ufa!
   Anda rolando uma certa insônia, acordo lá pelas 3 ou 4 da madrugada e nada de conseguir dormir de novo. Qualquer barulhinho me sacode, um cotonete caindo no chão da cozinha lá embaixo, o maldito pombo que fez ninho ali na janela e faz rúúú rúúú a noite toda. Há esperança, já que a sensacional Duquesa de Deptford me informa que as criaturas encarregadas baixam aqui na terça-feira pra fechar a tal parede que falta no meu quarto, com painéis de vidro(soundproof pelamor!) que correm suavemente em trilhos de alumínio. Eu nunca esperei com tanta ansiedade por nada nessa vida. Silencio, silêncio, Shuuush... E eu, que andava todo contente com o meu novo travesseiro tecnológico...
    Dia lindo lá fora, realidade paralela, quarta dimensão, céu azul, sol, brisa suave acariciando as peles pálidas. Eu numa preguiça maior que tudo isso. Mas vou me arrastar prum parque qualquer dos arredores pros meus 15 minutinhos de reposição de vitamina D,  London Fields ou  Victoria Park. Esticar a minha canga na grama e brincar  de Ipanema, embora saiba muito bem que Ipanema não é pra branquelos flácidos e pelancudos de meia idade.


Ps. Bermuda, camiseta e trainers. Porque as minhas Havaianas sumiram na mudança e custam os olhos da cara por aqui. E eu durango total, pobre até de espírito.
Ps1. As pessoas* podiam parar de ter opiniões sobre a vida alheia.
* "As pessoas somos nós."
Post a Comment