Saturday, March 03, 2012

      A quinta-feira foi um dia lindo de sol. Sempre o otimista, eu prontamente desenterrei meus óculos escuros de uma das centenas de caixas da mudança. Claro que desde então o céu anda cinza, escuro, cor de chumbo. E chove. 

          *     *     *

   Ninguém mais usa relógio nesse mundo, somente eu, que ando me sentindo anacrônico como meu bisavô, que devia andar por aí com um daqueles relógios pendurado numa corrente e guardado no bolso da calça. Agora, nesse mundo pós-apocalypso em que eu vivo estrangeiro, todo mundo checa o tempo nos seus famigerados mobile phones(celular é um nome muito feio e cell phone me soa muito biológico). Mas eu ainda tenho relógios, vários, e pretendo continuar os usando, mesmo que seja considerado estranho, excêntrico, relíquia de séculos remotos.
   E, no tumulto dos últimos dias, eu achei, perdido fazia anos, um relógio velho, que me lembro ter comprado em 1999, na velha e muito barata H&M da oxford Street. Trata-se de coisa vagabunda, o que eu sempre gosto, mas a bateria, obviamente, teve que ser trocada e a pulseira eu bem que tentei achar quem emendasse. Não teve solução e eu tive que substituir por outra nem tão bonita como a original, mas até que não ficou mal. O único drama é que isso tudo acabou me custando o triplo do preço original da geringonça. Eu tenho outros relógios, até muito melhores e mais bonitos, mas agora encanei com esse, coisas de gente esquisita. É que o tempo passa e eu ando ficando irremediávelmente atrasado. Na vida.


          *     *     *

   A vida na casa nova anda desafiadora, pra ficarmos em linguagem civilizada. 
   Tudo, absolutamente tudo, do forno ao chuveiro,da música à TV, do aquecimento do piso ao telefone, é eletrônicamente controlado. Na sala de jantar, me apresentaram um painel complicadíssimo que parece coisa do outro mundo e controla a minha vida confusa.             
   Claro que anda sendo um desgosto, outro dia eu inundei o banheiro já que a "bomba" que suga a água do box do chuveiro havia sido desligada por um dos meus flatmates. Eu me desespero muito fácilmente com essas coisas. Parece que vou ter que cursar engenharia eletrônica se quiser tomar um banho em paz. Ou lavar um copo na pia da cozinha. 

          *     *     *

   Ainda sem internet em casa. E mais não digo pra não despertar meus nervos delicados.
Post a Comment