Monday, February 06, 2012

   Eu preciso não me esquecer da importância e da função das criaturas contrárias, aquelas que não gostam nunca de nada absolutamente nada do que eu gosto, seja música, literatura, cinema ou gastronomia e que jamais perdem uma oportunidade de discordar e demonstrar a desimportância e a banalidade dos meus gostos.
   Esses seres opostos, eternas criaturas contrariadas, pedrinhas irritantes em sapatos alheios, existem pra me ensinar paciência e pra fortalecer meus pontos de vista me pondo em cheque e me questionando o tempo todo. Sim, porque se eu digo que gosto de chocolate leitoso e a criatura se escandaliza e desaprova, eu imediatamente me lembro de todos motivos e todas as razões que me levam a gostar de chocolate leitoso. E por isso tenho o meu gosto fortalecido, justificado, melhor entendido.
    E, como as tais criaturas desaprovadoras de tudo tendem a se alimentar da importância que os outros lhes dão, é bom que cuidemos de sua dieta e não as deixemos engordar e tomar muito espaço à nossa volta. Agora, o que no fim das contas as leva ao desespero, mesmo, é o fato muito simples e básico de que gente discordando não tem a menor importância quando você sabe quem você é e do que você gosta. E não precisa se justificar pra ninguém além de você mesmo. E é por isso que as irritantes criaturas dos avessos vão ficando cada vez mais insignificantes. E ainda mais do contra. Por pura falta de opção, já que concordar lhes contraria a natureza impertinente.
Post a Comment