Sunday, November 27, 2011

Um sol desanimado entrando pelos vidros da janela. Mr.C e Madame me olham sorridentes de dentro da moldura displicente sobre a cadeira que me serve de mesa de cabeceira. After The Ecstasy, the laundry. Do canto do quarto, encostada na parede, a minha mãe, ainda jovem, olha tristemente o infinito, inocente, ignorante das desgraças do futuro. Na vitrola Grant Green, Hurt So Bad. É domingo no parque e eu quero apenas coisas calmas, suaves, bonitas, delicadas. Coisas que não são desse mundo. A felicidade. E eu também sou triste demais, parar de mentir. Não somos todos? Esse circo dos horrores, esse inferno dolorido. Qualquer alívio, meus queridos, qualquer alívio menos Deus, esse tirano inventado, esse mestre cruel de todas as torturas mais sangrentas. Qualquer química, física, qualquer toque na pele. Apenas um segundo suspenso no ar antes da roda dos horrores voltar ao seu ritmo nefasto. A vida é longa demais.
Post a Comment