Wednesday, January 26, 2011

Os jornais todos gritam o apocalípse econômico, a segunda onda recessiva, desemprego, o mais escuro abismo, o fim do mundo. Eu não sei o que será de mim nessas circunstâncias tristes. E tenho um certo medo, claro. Mas a única vantagem dessa minha vida indigente é não ter nada à perder além do medo. Melhor mesmo é ir ao cinema. Porque a realidade é essa assim deprimente, depressiva e feia. Queria muito alguma coisa legal me acontecendo na vida, e nem precisa ser nada grandioso, espetacular, sensacional. Como dizia a minha destemperada e demente avó: Qualquer prazer me diverte.
Post a Comment