Wednesday, January 12, 2011

Aqui eu tento ouvir música enquanto os outros  assistem filmes do lado de lá. Uma mistura, uma confusão. Na minha orelha, chegam  umas frases soltas aqui e ali, tudo caótico, tudo indefinido. Eu me coloquei na bolha, velas e incensos. Eu fechei o zipper da bolha e fui buscar silêncio dentro de mim. Pra descansar, pra pensar em mundos belos. Dentro da minha bolha o espaço é infinito e existem campos, jardins, paisagens. Dentro da bolha também tem cidade, cinzas e fumaças. Dentro da bolha é o que pintar. Dentro da bolha eu atravesso a porta, tranco, e engulo a chave. Dentro da minha bolha o absurdo é solto, o sentido das coisas flutua por sobre as árvores, cidades. A bolha inteira flutua no ar. A minha bolha paira delicada no vácuo.
Post a Comment