Monday, June 14, 2010

Chet Baker na orelha. Morrendo de fome nessa casa não tem comida. Supermercado é uma aventura pra horas certas agora nunca. Pão francês com Camembert. O cheiro. Tempão sem meditar e eu vou ficando assim, confuso, descontrolado, deorientado. Coisas que eu quero. Muitas, diferentes, contraditórias, impossíveis. Maybe not. Eu queria um rumo, uma estrada, uma trilha, uma viagem. Uma viagem daquelas de estradas bem cuidadas, de se parar pelo caminho pra cheirar flores, beber água de fontes cristalinas, de se parar pra sentir o pé no chão, no mato, no mundo. De olhar pro céu, de contar estrelas, de assobiar velhas canções, de sentir falta dos amigos que ficaram, de se alegrar pelos amigos que ainda virão. De pegar fruta no pé, de caminhar com os olhos, de se pegar atalhos, de se achar e de se perder. Eu tenho fome mesmo é de coisas que não se come.
Ps. Desconsiderem o bla bla bla acima. Era puro delírio causado pela fome.
Post a Comment