Saturday, September 29, 2012

   Olhei pela janela e tinha um cara de terno com uma câmera enorme tirando fotos do prédio. Da entrada, das janelas, do muro. E do canto do olho me observando, como se estivesse fazendo algo ilícito, secreto. Até pensei em descer e perguntar, mas a preguiça foi maior. Estranho...
 
               *     *     *
 
   Insônia. Ando custando muito a dormir, apenas pra acordar lá pelas 3 da manhã e pronto. Um horror, um saco. E olhem vocês que eu...
 
               *     *     *
 
   E, como se não bastasse, no pouco que consigo dormir, tenhos os sonhos mais bizarros: Férias inesperadas e súbitas sem explicação, furacões no Rio de Janeiro, eu sobrevivendo ao quase fim do mundo após uma tempestade de meteoros devastar o planeta. Daqueles sonhos muito realistas, dos quais você acorda atordoado, sem saber se acordou ou não, se foi realmente sonho ou é a realidade, um tempo enorme pra se situar. E gastar o dia se lembrando deles,  tentando fazer algum sentido. E não me venham com Freud que eu só acredito na minha própria interpretação dos meus sonhos. Afinal, né?
Post a Comment