Thursday, August 02, 2012

   Nem mesmo o chifrudo, o tinhoso, o fedorento, o bicho ruim do rabo peludo, seria capaz de imaginar um dia infernal como o que eu vivi ontem tentando navegar a burocracia barroca tupiniquim. Eu ia poupar vocês de tanto drama mas não estou conseguindo me controlar.
   Vejam os senhores que lá pelas 7 e meia da manhã eu já estava na fila quilométrica do tal "poupa tempo" pra tirar identidade e carteira profissional.
   E a tragégia foi assim:
   Fila enorme na Rua da Ajuda(percebam a sofisticada ironia) pra ter os documentos checados, fila gigante pra pra pegar senha e tirar foto digitalizada, fila pra pegar senha pra tirar a impressões digitais, fila e senha pra preencher formulários e finalizar a carteira de identidade. E quanto tempo se poupa? Ninguém sabe e eu ainda não entendi pois a tal carteira pode ficar pronta entre 5 e trinta dias. Ora, eu preciso da mesma pro passaporte pra voltar pro lar doce lar.
    Depois fui comer alguma coisa, antes de quase desmaiar de fome e voltei pra outra fila, outra senha pra tirar a CP, pra depois me informarem que sem o número da carteira velha nada podia ser feito e me mandarem pra Previdência social, lá na Almirante Barroso, buscar um tal de CNIS.  Claro que tinha mais fila, claro que tinha senha. E centenas de velhos que mal se moviam sendo atendidos por apenas uma criatura, crueldade de quinta, educação nenhuma, maus tratos sem disfarce. E lá voltei eu pra ainda mais outra fila, outra senha... Ao menos o treco ficou pronto na hora.
   Cansados com o espetáculo, senhores? Pois ajeitem-se nas suas cadeiras que ainda tem mais.
   Tudo isso resolvido, me mandei  de barca pros reinos do covarde e traidor cacique Araribóia, praquele delicioso paraíso chamado Bradesco, tentar retirar uma grana da minha conta(o que havia tentado semana passada sem sucesso depois de me confundir com a senha e ter o cartão bloqueado), pois não tinha identidade e onde a mocinha Suely me disse que eu tirasse a CP(que fica pronta na hora) e voltasse que tudo ficaria bem. Pois a mocinha se enganou e depois de mais fila e mais senha o moço adorável do  caixa me olhou muito desconfiado e declarou que a coisa não servia, que havia sido tirada no dia, que podia ser fraude... A CP só serve se estiver assinada e carimbada pelo empregador. "Mas moço, eu não tenho empregador, eu não moro aqui, a mocinha Suely me disse que servia, moço eu não aguento mais, moço pelamordedeus!" O moço chamou o gerente, que cheio de suspeitas me cobriu de perguntas pras quais eu não tinha respostas e se enfurnou lá atrás por duas horas antes de voltar com novidades. " Ok, senhor, o senhor pode retirar o dinheiro. Mil reais?" Pois eu decidi retirar a grana toda pra evitar outro xabú e a criatura não gostou. " Mas o senhor havia dito mil reais..." Então eu desisti, peguei a grana possível e fui pra outra fila e outra senha pedir um cartão novo.
   Vocês se lembram da nova senha? Nem eu.
   Tem um cheiro de enxôfre no ar, vindo do subsolo, dos aposentos do coisa ruim.
Post a Comment