Saturday, April 23, 2011

Lá no fim do mundo, naquele século da minha infância infeliz, haviam ciganas com dentes de ouro e panelas de cobre, circos no quintal, rugidos leoninos no meio da noite e elefantes na varanda. No fim do mundo haviam chuvas torrenciais e barulhentas, raios assassinos, cheias, inundações. Na minha infância infeliz haviam folias de reis e seus palhaços monstros. No fim do mundo o bumba meu boi passeava pelas ruas com seus guizos e sinos, suas franjas acetinadas e pele de chita. A minha infãncia infeliz era misteriosa e colorida. A minha infelicidade é desesperada e sedenta por cores, mistérios, por qualquer magia. E gosta de dias de sol e brisa pela casa.
Post a Comment