Monday, April 11, 2011

Acabou-se o tempo bom, tragédia, eu estava adorando ser uma criatura ensolarada, o inocente. Claro que a chuva voltou, pra me lembrar que pode ser primavera, mas a cidade continua a mesma, isso aqui não é Ipanema não. Eu me empolgo todo com dias claros, viro outra criatura, e tava me encharcando de vitamina D feito uma esponja. Over. Eu envelheci demais nos últimos anos, na carcaça,  por dentro eu sempre tive 397 anos. Agora eu me olho no espelho e o tempo passou, se foi, rugas pelos cantos da cara, a pele sem a mesma elasticidade e brilho, o tempo passou dentro de mim, células, átomos, biologia. No espelho eu vejo um homem simpático mas estranho, esse não sou eu. Talvez seja apenas cansaço das dores todas, da solidão, do sangue ácido e corrosivo correndo nas minhas veias. O que será  de mim?
Post a Comment