Monday, February 07, 2011

Assim, assim, assim... Eu havia decidido(depois de muito me torturar), que, como a minha vida até aqui não tem sido nada espetacular ou cheia de realizações e eu não tinha mais paciência pra grandes malabarismos,  eu ia levar a vida na flauta. Na flauta do jeito que dá, vocês me entendam, no sentido de não me matar de esforços vãos na esperança de que algo venha acontecer  e premiar meus suores. A idéia era trabalhar apenas o mínimo estritamente necessário na vida pra pagar as contas, comprar meus discos e livros e ir ao cinema vez por outra, uma vida simples e básica, que não fosse me enlouquecer, me estressar, me fazer pirar na tal da batatinha. Eu não preciso de muito pra ser feliz, apenas as coisas mais básicas da vida, como internet broadband por exemplo. Eu quero mesmo é meditar mais, aprender mais budismo, ir morar no mato, plantar meus legumes, criar minhas galinhas e escrever contos lindos e  absurdos que ninguém vá ler. Não é pedir demais do universo, apenas uma vidinha boba, idiota e pueril. Eu ando cada vez mais o oposto do que era. A vida é mesmo uma novidade depois da outra. Vou desistir de entender, e de tentar controlar. Como já dizia Mr. Pessoa: "O que for, quando for, é que será o que é."
Post a Comment