Saturday, November 06, 2010

Eu queria nunca ter arrependimentos na vida, mas a minha vida é cheia deles, uma vida soterrada em arrependimentos. As coisas que não fiz, que não fiz, que não fiz, as pessoas que não mandei à merda, as vezes em que não me defendi dos abusos, os limites que não exercí. De se ficar muito triste, de se ter a tentação de se ter pena. Eu não me defendi, eu não mandei os bullies pro inferno, não bati em ninguém, não me salvei. Eu não me salvei. E o que sobrou de mim é muito menor do que teria sido, pior do que podia, aquém das próprias capacidades. Me restou muita raiva, ainda bem, ela me obriga me posicionar e a deixar muito claro que de agora em diante vai ter porrada. Estou catando os tais cacos que sobraram e me reconstruindo, do jeito que quero, que gosto, que fico confortável. Sem me importar com ninguém.
Post a Comment