Monday, August 09, 2010

Hoje na minha meditação, eu me vi olhando a minha ansiedade na cara. E ela é muito maior e mais forte do que eu imaginava. Muito além das ansiedades simples de uma vida assim precária como a minha(pode parecer um tanto grandiloquente e dramático, não é essa a imagem que eu estou tentando descrever). A origem da minha ansiedade vem de antes mesmo da origem de toda essa precariedade, da total falta de chão, de cuidados, de amparo. O que me fez ficar assim esperando o desastre qualquer hora. O tempo todo esperando o chão me ser tirado de sob os pés. Dolorido, pra se ficar numa linguagem menos agressiva e raivosa. Mas, ao menos está sendo possivel, apesar da dor, olhar pra tal da ansiedade e poder começar a ter alguma esperança de me reconstruir mais uma pessoa e menos uma ferida aberta.
Post a Comment