Thursday, August 19, 2010

Eu ando num humor ruim. O que não sou eu. São as circunstâncias das geografias das impossibilidades. Eu sou uma pessoa sim. Vivendo no mundo não. Portas e paredes. Tudo fechado em claustrofobia e escuro. Mesmo assim, eu sempre invento luminosidades, lâmpadas coloridas na parede, festas juninas, fogos de artifício no abafado e frio da prisão. Eu sei dos meus poderes de asas, estrelas, galáxias, constelações. E me olho bonito assim, capaz de alquimias, transformações. E da mais profunda escuridão, senhoras e senhores, agora se faz a luz. E inexplicávelmente a luz vinha se fazer. Mas hoje o velho truque falhou. A escuridão anda se expandindo rancorosa por aí e o alquimista cansado pragueja suas poções.
Post a Comment