Wednesday, July 28, 2010

Eu ando vivendo um dia de cada vez. Um drama de cada vez. Pode parecer método mas é puro acidente, parte da minha incapacidade de viver de um modo remotamente calmo. Tudo é tumulto, tudo é porrada. Eu bem que tento não fazer de mim aquela coisa chatinha que é ser vítima do destino, do mundo, dos outros, embora fique bastante tentado em certas ocasiões. Eu tenho medo de telefone, medo da campainha na porta, pânico de envelopes. E acredito no acaso total.
Post a Comment