Saturday, February 06, 2010

   Tarde muito tarde. E ainda é ontem porque meu dia ainda não acabou.
   Era pra ter sido um dia calmo, preguiçoso, letárgico, bom, confortável, justo, corriqueiro, comum.
   O que era pra ser. Uma ilusão. Como se eu não soubesse que não adiantam planos, desejos, vontades...
   O Fernando Pessoa disse assim: "O que for/quando for/ é que será o que é."
   Então tudo virou diferente, outro clima, outro ritmo, outra melodia, outra velocidade. O mesmo dia.
   Médico, dermatite, coceiras, perebas, miconazole nitrate, Ketoconazole. Templo, meditação, Buda, desespero, incenso, irritação, desconforto. Nem sempre ser zen dá certo, tá tudo bem, tá tudo certo. Nem pensar em outra hipótese e sem spell check. West End, Covent Garden com Josephinne, compras. Muita muita muita música. A Duquesa de Deptford nos arrastou prum pub em Marylebone High Street, Posh people, idiotas. Eu nem bebi, uma tristezinha mesmo.
   Em casa tudo atrasado, comer o que? Eu nem consigo ir ao cinema. Ou assistir aos DVDs que comprei outro dia. Ou terminar de ler a Dorothy Parker. Ou upload todos os álbuns novos pro meu ipod.
  Minha irmã vai se casar.
  Eu esqueço aniversários, nem adianta anotar. Eu gosto de gente fina, elegante e sincera. Uma sexta-feira. O cansaço me deixou sem fazer sentido.

Post a Comment